Minha mãe

| 3 Comments

Uns tiveram o médico, outros a parteira, outros a enfermeira, outros uma mulher “entendida no assunto”. Eu tive só a minha mãe. Foi ela a minha primeira imagem de “gente”… no momento da chegada a este mundo, naquele quarto da casa, só eu e a minha mãe.

Claro que não me lembro do episódio, mas imaginar todos, por volta das 6h da manhã, numa noite fria de Dezembro, à procura, uns do médico, outros da parteira e a minha mãe ali, sabe-se lá em que aflições… ver-se sozinha comigo a dar o primeiro grito: cheguei!

Quando todos apareceram, já eu tinha nascido (a tão desejada menina), já eu tinha chorado e tinha dispensado a ajuda de mais alguém no acto de nascer… a separação física só se deu quando me cortaram o cordão umbilical. Ambas estávamos bem.

Cresci, mas nunca me separei (nem vou separar-me) afectivamente desta mulher que literalmente me deu LUZ.

Tenho uma grande admiração e orgulho pela minha mãe. No pequeno (ou grande?) espaço de tempo em que ocorreu o meu nascimento, toda a sua atenção foi minha, todo o seu mundo fui eu, todo o meu mundo foi ela. Ela deu-me a sua protecção, o meu primeiro toque, o meu primeiro abraço, o meu primeiro aconchego…

Porque é que crescemos tão depressa?…

Obrigada minha mãe, por todos momentos, por todas as palavras, por todos os afectos, por toda a protecção, pelos ensinamentos, pelo amor que me tens e porque acreditas em mim, tal como eu acredito em ti.

OBRIGADA, MINHA MÃE!

3 Comments

  1. … já não te lembras, mas estiveste presente, não viste mas sentiste e agora tiveste a coragem de escreveres estas “belas palavras” para demonstrar e desenrolar perante nós a força de uma mãe que nas condições possíveis conseguiu numa perfeita harmonia com a natureza e com a vida, dar à luz e a este mundo um “Ser” que ela acreditou, sentindo a coragem… que grande coragem para que tudo fosse possível… simplesmente uma força para que a sua «estrela» brilhasse. «Obrigada mãe» obrigada Keta por estares aqui, não foi por acaso! Ser mãe é simplesmente ser possuída pela força da vida que vem de dentro, é amar é acreditar é simplesmente sentir que é possível ser mais forte para poder partilhar… Beijinho.

  2. Que Históra maravilhosa a do seu nascimento. Deve ter sido tão intenso para a sua Mãe, dar à Luz uma Bébé, só, sem ninguém para lhe segurar a mão, dar um beijo ou fazer-lhe um afago. Extraordinário. Grande Senhora. Tem mesmo que se orgulhar de mãe que lhe deu a vida, e amá-la com todas as forças do mais fundo dos seus sentimentos.

Deixe uma resposta

Required fields are marked *.