Antes que já me não lembre

| 3 Comments

…. Antes que me esqueça, que já me não lembre! Quando já estiver esclerosado, caduco, com alzheimer. Quando puser a cinza do cigarro no copo de whisky e tentar beber do cinzeiro; (que já o tenho feito).

Antes de tudo isso ainda quero desfiar um rosário de lembranças…

Em que todo o mundo era confuso, mas organizado à minha maneira, pretendendo pô-lo mais claro e mais transparente.
Em todo o caso, lembro-me que não sabia o que começava, se a noite ou o dia, se as lágrimas eram estrelas ou o contrário.

Minha mãe disse-me que nasci «abençoado» Talvez!? Por ver todas as coisas começarem dentro do meu pequeno Mundo onde me fechava. Para mim era enorme, feito norgesbesteonlinecasinoer.com à minha medida, e era só meu.

Aí!… Tudo era maravilhoso, que de dentro saía sempre um som bonito, que era a voz de minha mãe, ou o seu olhar protector. Ou até um sorriso de minha irmã com muita luz que vinha de dentro. Que me abria portas e janelas, para as nossas cumplicidades.

Ou até!… O ar austero e severo com que meu pai olhava para mim, sem nunca se aperceber quem realmente EU era.

Por tudo isso, vou recordando estes passados, antes que me esqueça.

3 Comments

  1. A vida é feita de lembranças, boas, más e assim assim.
    O importante é que tenhamos sempre a capacidade de não as esquecer.

  2. Há coisas que não se esquecem NUNCA, Miguel.

Deixar uma resposta

Required fields are marked *.