Ser feliz

| 1 Comment

“Dinheiro: Ele pode comprar uma casa, mas não um lar. Ele pode comprar uma cama, mas não o sono. Ele pode comprar um relógio, mas não o tempo. Ele pode comprar um livro, mas não o conhecimento. Ele pode comprar um título, mas não o respeito. Ele pode comprar um médico, mas não a saúde. Ele pode comprar sangue, mas não a vida. Ele pode comprar sexo, mas não o amor.” Ensinamento Chinês

Mais dinheiro ou menos dinheiro, mais saúde ou menos saúde, mais estatuto ou menos estatuto, mais gordo ou mais magro, mais alto ou mais baixo, palacete ou casinha modesta,… serão estas as diferenças entre ser e não ser feliz?

Quantos são saudáveis, têm dinheiro, estatuto, as medidas “certas”, um palacete,… e são infelizes?

Quantas pessoas estão convencidas de que ganhando o euromilhões acabariam todos os seus problemas e encontrariam a felicidade?

Estas pessoas são felizes quando imaginam o que fariam com aquele dinheiro. Depois, os que ainda conseguem ganhar algum prémio, ou se decepcionam com a falta de zeros no valor que recebem ou, a quem saiu a sorte grande, vê a sua vida dar uma volta tão grande que não conseguem mais ter descanso (por roubos, ameaças, ódios, invejas, amigos “da onça”, etc).

Eu julgo que uma pessoa que tem trabalho, que gosta do que faz, que tem o suficiente para se sustentar (incluindo a família, claro) sem ter que passar dificuldades, sabe dar valor ao pouco que tem, é respeitado fazendo-se respeitar. Sabe o que vale e aposta em si próprio (que é o mais seguro).

Estas pessoas, para mim, são as que mais possibilidades têm de serem felizes, aquelas que se conseguem realizar, valorizando o que têm de melhor e contornando as suas próprias limitações.

Afinal, o nosso sucesso é aquele que depende do nosso trabalho, do nosso esforço. O outro não é nosso, é dos padrinhos, das cunhas, dos pais ricos, das aldrabices, das ilegalidades, do usar o outro em proveito próprio. Estas pessoas moralmente não podem ser felizes. Podem ter satisfação em fazer o que fazem, mas não podem ser felizes.

Feliz… fica quem consegue fazer o outro feliz. Até mesmo antes disso, já nos sentimos felizes só de pensar na reacção que a outra pessoa terá quando fizermos, dissermos ou dermos aquilo que lhe agrada.

Quem nunca se sentiu feliz em imaginar a reacção da pessoa que vai surpreender?

 

“Quando tinha 5 anos, a minha mãe dizia-me que a felicidade era a chave da vida.
Quando fui para a escola, perguntaram-me o que queria ser quando fosse grande.
Escrevi “feliz”.
Então eles disseram-me que eu não tinha entendido o exercício, e eu disse-lhes que eles não entendiam a vida”.  John Lennon

One Comment

  1. Sim concordo! (ser feliz é fazer alguém feliz…)
    Mesmo que o momento dure pouco tempo.

Deixe uma resposta

Required fields are marked *.