Adeus

| 6 Comments

Para alguns a morte é o fim, o culminar da vida, o terminar de todas as dores, de todas as angústias mas também de todas as alegrias e satisfações. É o ponto final, é o chegar à estação depois de todo o caminho percorrido (ou não).

Para outros é uma passagem, é a transição de uma etapa para outra. É a oportunidade de uma nova vida, seja esta no além para todo o sempre ou para voltar quando chegar a sua vez de recomeçar outra vida terrena.

A morte é o desconhecido, o mistério, o enigma por desvendar, a pergunta que não ouve a resposta, a despedida que não revela o próximo encontro.

É o deixar tudo e todos… e partir sozinho… deixando até o seu corpo e a sua identidade.

A morte é um adeus. Um adeus diferente, um adeus especial, mas um adeus. O verdadeiro adeus.

Não sei se pela crença da ida ao encontro com Deus (A Deus) se simplesmente da despedida.

Adeus.

6 Comments

  1. É uma passagem… será? Cada vez me pergunto mais e menos resposta tenho! Mas não me inquieta muito, o que for será (mas que seja rápido!).

    Inquieta-me, isso sim, a despedida dos que vão enquanto eu ainda cá estou para os chorar … a saudade e a solidão (que nunca me apoquentou e até persigo, porque me gosta) inquietam-me porque sei que vou ficar só no meio de tanta gente!

  2. A morte é talvez o pricipio da chegada e uma outra Dimensão. É talvez o recomeço de uma outra vida. Uma vida não materialista onde possamos enfim viver em paz. Eu quero acreditar…..

  3. Na minha pausa para o café, encontro-me no meio das tuas palavras. Fazem-me refletir mais uma vez sobre este enigma, concluo que é bom pensar e compreender apesar de não haver uma resposta concreta. Infelizmente a vida atual não convida a sociedade para esta reflexão, para este reencontro… Caso contrário talvez o “mundo” vivesse com mais sentido de paz e amor. As tuas palavras, simples, mas com conteudo para fazer pensar. Beijos, obrigada Keta.

    • Qualquer momento pode ser bom para parar e reflectir sobre temas que, por serem tão enigmáticos, muitas vezes deixamos para mais tarde, para quando nos sentirmos mais perto do acontecimento (seja por nós próprios seja por alguém que nos é próximo). Beijinhos e obrigada pelas tuas palavras.

Deixe uma resposta

Required fields are marked *.