À distância de um clique

| 0 comments

As Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) mudaram radicalmente a nossa forma de viver. Hoje, através de um dispositivo (computador, tablet, telemóvel, …) com ligação à internet, conseguimos entregar a declaração de IRS, fazer compras, ouvir músicas, ver filmes, conversar com familiares e amigos em qualquer parte do mundo, aceder a informação variada de uma forma muito rápida. A evolução das TIC trouxe-nos também a possibilidade de pesquisar livros, revistas, teses e um sem número de documentos, saber onde se encontram fisicamente e até (alguns) folheá-los digitalmente.

Os catálogos on-line e as bibliotecas digitais são uma realidade destes últimos anos e estão cada vez mais interligados, o que permite, através de uma só pesquisa, saber o que existe, onde se encontra, se está disponível física e/ou digitalmente e o número de exemplares, além da informação bibliográfica sobre o mesmo (autor(es), nome, ano, cota, CDU, tamanho, número de páginas).

Além das dezenas de bibliotecas nacionais: desde as bibliotecas das Universidades, Escolas, Institutos, Fundações, passando pelas Municipais e Ministeriais, até à Biblioteca Nacional e Biblioteca de Arte da Gulbenkian, a União Europeia promoveu a criação de uma biblioteca digital europeia, chamada Europeanna, que disponibiliza documentos das bibliotecas, museus e arquivos de toda a Europa.

Encontra-se também disponível a Biblioteca Digital Mundial, que disponibiliza manuscritos, livros raros, mapas, filmes, fotografias, gravações musicais, plantas de arquitectura, etc. de todo o mundo. E, entre outros projectos deste âmbito, existe o Projecto Gutenberg que apresenta uma grande colecção de livros electrónicos gratuitos, o RCAAP (Repositório Científico de Acesso Aberto de Portugal), onde se pode aceder a conteúdos científicos existentes nos repositórios dos estabelecimentos de Ensino Superior e outras organizações de Investigação e Desenvolvimento e a Hemeroteca Digital da Câmara Municipal de Lisboa, uma biblioteca digital de jornais e revistas de domínio público.

Com a expansão da internet e a disponibilização de todos estes documentos, os cidadãos têm uma boa parte da cultura à distância de um clique.

Curiosidades:

Em Barcelinhos, junto ao Cávado, está a mais pequena biblioteca pública do país. É uma micro-biblioteca instalada numa cabine telefónica.

Existe uma “Olvidoteca ou a biblioteca dos livros esquecidos” uma biblioteca num hotel em Madrid, feita com os livros esquecidos/deixados pelos hóspedes.

Deixe uma resposta

Required fields are marked *.