A espada

| 4 Comments

Hoje não quero outra luz, por mais azul que seja;
Nem sequer um rumor de folhas a cair das árvores
Mais altas do meu jardim…

Quero a flor, como uma espada rasgando a minha solidão.
Quero um voo de gaivota rasando sobre o meu mar de liberdade.

4 Comments

  1. Tenho andado um bocado fora dos blogs, embora os vá lendo estou algo preguiçoso em comentários e até em postagens: antes era uma de dois em dois dias, agora é quase só uma por semana.
    Mas continuo a gostar muito do que escreves – o teu estilo é inconfundível.

    • Não sei se é inconfundível ou não!?… Mas vamos sempre buscar referencias a outros poetas, a outras pessoas, a outras vivências……
      E… assim com todos os ingredientes, talvez se forme um estilo próprio.
      (Obrigado por comentares)

  2. Lindooooo…. E eu quero a serenidade da ave voando do ninho, quero a paz a calma do verdadeiro Amor adolescente com toda a pureza de idade da inocência, quero Paz, quero apenas ser Feliz. Afinal, eu até não quero muito.

Deixe uma resposta

Required fields are marked *.