O valor da vida

| 6 Comments

O carro galgava quilómetros a uma velocidade estonteante. Ambos estavam cansados da viagem e ela adormecera há alguns minutos. Ele procurava manter-se alerta, mas a fadiga turvava-lhe a visão. Era preciso chegar depressa; os miúdos estavam à espera e já lá deviam estar, não fosse o contratempo de terem rebentado um pneu logo à saída da autoestrada. Agora aqueles caminhos sinuosos não vinham nada a calhar…

Repentinamente umas luzes encandearam-no e não viu, nem ouviu mais nada, para além daquele último estrondo, do qual nem sequer já se lembrava… e ela a dormir… nem ao menos tivera tempo de acordar.

Lá fora ouviu-se uma sirene e a seguir vieram as vozes; depois as marteladas na fuselagem do carro… era preciso esventrar a viatura, porque eles estavam presos lá dentro… não havia tempo a perder, estava em jogo uma vida, ou duas… não se sabe…

Depois de muita luta, tinham conseguido, finalmente, desencarcerá-los… ele respirava com dificuldade; ela tinha uma réstia de vida…

Veio o helicóptero. Era preciso evacuá-los rapidamente. Não se podia desperdiçar um minuto, porque o tempo podia significar apenas uma vida… não se sabe!

Todos os meios técnicos e humanos necessários ao socorro daquelas vítimas foram utilizados, sem se olhar a custos, porque não há dinheiro que pague uma vida. É assim que as coisas devem funcionar: as pessoas são vida e a vida é feita de, para e por pessoas.

Isto significa que a vida não tem preço. Contudo, em situações de guerra, morrem milhares de pessoas e enterram-se em valas comuns sem diferenciação de idade, sexo, cor ou religião… e o mundo, muitas vezes, nem sequer se dá conta.

Aí, milhares de vidas não valem NADA, são apenas números que nos surpreendem, nos angustiam, mas dos quais ouvimos falar, quase com indiferença, enquanto saboreamos a nossa refeição.

O poder de um homem, de um grupo, de uma ideologia, pode arrasar um povo, demolir um país, matar gerações, destruir ou fazer história, não se sabe em nome de quê ou de quem.

Os humanos construíram a humanidade, sem humanidade nenhuma. Criou-se um mundo de competitividade constante em que os grandes inferiorizam os pequenos, os ricos sobrepõem-se aos pobres, o poder executa o povo, os homens vingam-se nas mulheres, os filhos desrespeitam os pais, a mão da justiça só penaliza os mais fracos, os novos inferiorizam os velhos, os diferentes são discriminados, os discriminados também discriminam… e assim sucessivamente.

Tudo seria tão diferente se as nossas sociedades crescessem com valores de igualdade e não estivéssemos sempre em guerra uns com os outros, no trabalho, em casa, na família, na comunidade, no mundo, na vida.

Somos racionais, temos pensamento, inteligência, conhecimento. Falta-nos, talvez, uma maior “consciência do outro” e  um pouco mais de bom senso.

Do que é que precisamos para transformar o mundo?

6 Comments

  1. Verdade , Vina . Hoje a vida está desvalorizada. Matam-se uns aos outros como se matam Bichos. Pais matam filhos, filhos matam pais. Maridos matam mulheres e vice-versa, Matam-se os vizinhos por um Rego de água ou por um pedaço de um Muro ou por um metro de extrema e pronto, tudo passa a ser normal e tudo vai ficando impune, porque a nossa Justiça também falha. Esquecemo-nos que só se vive uma vez.

    • Tem toda a razão, Gracinha. Tanto se faz para salvar uma vida e cruzam-se os braços quando se trata de salvar milhares. Infelizmente foi a sociedade que fomos construindo ao longo do tempo e enquanto o homem continuar a combater o homem, não sairemos daqui.

  2. Tens toda a razão, faz-se tudo para salvar uma vida e não se faz nada para salvar tantas.
    O cúmulo, para mim, é tentar salvar da morte um criminoso gravemente ferido para depois o condenar à morte.

    • Pois, João, foi a sociedade que construímos, muitas vezes cruel, desinteressada e desinteressante, fria. Prometeram-nos o céu e construímos um pouco do inferno. Resta-nos a esperança de um mundo melhor. Um beijo.

  3. Muito bom mesmo. Reflexões são mais que necessárias. Enquanto o homem não introjetar a verdade de que é impossível viver só, as disputas inglórias não cessarão. Amar é essencial! Bjs

    • Criámos uma sociedade em que o homem em vez de se unir ao homem, combate-o nas suas várias vertentes. Sim, se existisse mais amor, o mundo seria muito melhor. Beijos

Deixar uma resposta

Required fields are marked *.