Supermercado ou farmácia?

| 4 Comments

Nesta época do ano as pessoas andam atarefadas com os preparativos para o Natal e, como é natural, escolhem normalmente uma grande superfície comercial, para poderem não só abastecer a dispensa, mas também comprar alguns presentinhos para familiares e amigos mais próximos.

Estamos em crise, é verdade, mas o essencial não pode faltar na consoada.

Claro que os supermercados estão sempre preparados para estas ocasiões e já não é a primeira vez que eu me pergunto se, em vez de comprar comida não estarei a comprar medicamentos.

Senão vejamos:

Existem várias qualidades de leite: os “enriquecidos” com vitaminas, selénio e zinco, que contribuem para o bom funcionamento do sistema imunitário; os enriquecidos com gorduras saturadas para crianças e adolescentes; os com baixo teor de lactose para as pessoas intolerantes à lactose; os enriquecidos com cálcio e fibras; os enriquecidos com ferro, os enriquecidos com ômega 3… enfim, o relambório nunca mais acaba.

Entre os frangos descoloridos, há um que brilha mais: o “frango do campo”, criado em “liberdade”, com menos hormonas e, por isso, mais saudável.

Até os ovos já são enriquecidos com Omega 3. cálcio, ferro, fósforo e grande quantidade de aminoácidos essenciais.

Os iogurtes são enriquecidos com bifidus ativos, que aumentam determinadas colónias de bactérias, que desintoxicam o organismo, eliminam toxinas, facilitam a digestão e a absorção de nutrientes essenciais.

activiamargarina-becel250g

O Aloé Vera está presente nos iogurtes, nos cremes de beleza, nos champôs e sei lá em que mais, como um produto natural extraído da planta do mesmo nome, que revitaliza a pele, o cabelo, o organismo…

As margarinas, antes prejudiciais à saúde, tornaram-se uma boa aposta na redução do colesterol, na prevenção de doenças do coração e do sistema circulatório.

As bebidas Light, as bebidas zero, prometem menos quantidade de açúcar e até a água vendida em garrafas já é rica em fibras e outras coisas mais.

E como de “pequenino é que se torce o pepino”, existem chupetas que já têm em conta a futura dentição do bebé e vêm equipadas com um anel em silicone e áreas de ventilação.

Neste mundo globalizado, em que se destrói o planeta, procura compensar-se a falta de produtos verdadeiramente naturais com artimanhas comerciais cujo objetivo principal é alimentar uma sociedade cada vez mais necessitada de produtos básicos, sem aditivos e enriquecimentos, que só vão enriquecer quem os enriquece.

4 Comments

  1. Feliz Natal, Salvina! Para todos do Tri 🙂 Beijinhos e um bom, melhor, a ser o caso, 2014.

    • Obrigada Fátima, espero que o seu Natal seja passado em família com muita alegria e felicidade. Desejo que no novo ano acabe a caça ao Professor e que consigamos melhor qualidade de vida do que nesre ano. Beijo

  2. Muito bem escrito como sempre, Vina! E tens toda a razão, é tudo uma grande treta. Eu cada vez consumo menos e cada vez me viro mais para o que é natural e saudável. É preciso resistir e não consumir, talvez assim eles aprendam a respeitar-nos e a propor-nos coisas correctas.
    Beijocas

    • Minha querida, infelizmente a qualidade paga-se e há muitos produtos que se dizem biológicos apenas para poderem cobrar mais. Os mercados estão tão agressivos que só conseguiremos consumir alimentos verdadeiramente saudáveis quando formos nós a tratar das nossas hortas… Já faltou mais. Um beijo grande e Bom Ano novo. Espero que continues a recuperar bem para te poder abraçar no próximo ano.

Deixe uma resposta

Required fields are marked *.