Deixa-me fumar

| 7 Comments

fumoDeixa-me fumar
Fumar por fumar
Olhar este fumo
e expirá-lo
e lançá-lo
Vendo nele o teu olhar

Vivo fumando
Fumo por fumar
Vivo construindo
Castelos no ar

Idealizo um sonho
Um sonho bonito
Que logo vejo tombar
Cruelmente
Rapidamente
Como se fosse o fumo
Que se espreguiça no ar…
Ergo uma pedra
Logo outra
Mais uma
E outra ainda
Pedra que cai
E desfaz
E destrói
Desmorona a construção
Não construída
Ainda

Deixa-me fumar
E esquecer…
Não lembrar…
Não lembrar…
Não lembrar…

7 Comments

  1. Gosto do poema. Compreendo o conteúdo. Mas não vale a pena dar conselhos, pois sei bem o que isso é. Nasci e vivi sempre no meio de Fumadores. Avô,Pai, Irmão Filhos, Sogro, Marido… Não há hipótese. Beijinhos

  2. Não sou um «fundamentalista», como os ex- fumadores, alguns são. Como o João roque!
    Também sou um fumador activo, (portanto deixem-me fumar) e… não me limitem o pequeno prazer que tenho na vida.
    NÃO SABIA QUE TINHAS UMA VEIA POÉTICA!?……

  3. O texto está muito bonito apesar de não concordar com o “fumar”.
    Beijinhos amiga

  4. Se gosto do poema, por outro lado não gosto do tema…
    Fumar é apenas um pretexto.

Deixar uma resposta

Required fields are marked *.