A ovelha negra

| 3 Comments

ovelha_negraEstava eu a contar carneirinhos para ver se adormecia. De vez em quando o meu pensamento desviava-se para situações em que não queria pensar, mas eu disciplinava-o para que não me distraísse da contagem e do objectivo do sono.

Quando já ia no número quinhentos e cinquenta e cinco, cansada de tanto contar, reparei que no meio dos carneirinhos se encontrava uma ovelha que, ainda por cima, era negra. Então questionei-me “mas o que é que aquela ovelha anda ali a fazer? Donde veio? O que a trouxe para estes lados?”.

Concentrei-me na ovelha, naquela ovelha que me distraiu dos carneirinhos.

Resultado: adormeci!!

Nem sempre o caminho é a estrada principal. É preciso fazer um desvio e enveredar por um itinerário alternativo.

Conclusão: às vezes é uma ovelha negra que nos salva.

3 Comments

  1. As coisas convencionais nem sempre são as mais correctas. Há que ter a ousadia de ser diferente e arriscar. Belíssima analogia, Salvina.

  2. Abstraiamos os carneirinhos, que já não nos fazem dormir… Têm histórias as ovelhas negras, se nos encantam por serem negras, se nos hipnotizam os olhos, cerrando-nos as pálpebras na insônia, dando-nos sonhos que amortizam, assim, tão sem cerimônia, os medos dos nossos segredos….

    (Betty, 26/09/2014)

    • Seja bem vida de novo a este espaço. Jå tinha saudades dos seus comentários. Sabe? Quando escrevi este texto achei que não devia publicá-lo por ser aquilo a que se chama “palha”, ou seja, quase uma fábula para entreter crianças. Mas depois acabei por refletir e cheguei à conclusão de que, no fundo, é um texto libertador, ou uma porta para a reflexão. Isto porque permite que cada um faça a sua leitura que tanto pode ser simples como elaborada. Não está aqui nada, mas por outro lado está aqui tudo. Os carneirinhos representam a massa humana que segue na mesma direção, sem se questionar, enquanto a ovelha negra é uma figura diferente, que não se rege por padrões tradicionais. É! … e, às vezes, quem não pensa como nós pode mostrar-nos novas vidas, novos caminhos e fazer com que tomemos um rumo diferente. Cada um de nós pode retirar deste simples texto aquilo que quiser. Por isso o publiquei.

Deixar uma resposta

Required fields are marked *.