Gosto de pessoas

| 4 Comments

eu_mae

Não sou, nem nunca fui, boa observadora. Por isso quem me conhece sabe que posso passar todos os dias pelo mesmo local sem me dar conta da existência de um novo espaço, uma nova loja ou qualquer outra coisa. É vulgar surpreender-me com um pormenor que sempre ali existiu, mas no qual não tinha ainda reparado.

Se, por um lado, esta pode ser uma “deficiência” minha, por outro permite-me encontrar sempre algo de novo naquilo que afinal era velho. Na altura que vejo (com olhos de ver) deixo-me encantar pela nudez das árvores, pelo colorido das folhas, pelo avermelhar do sol, pela cor do mar e gozo a paisagem que é minha, pela primeira vez.

Conheço pessoas que são capazes de descrever com precisão a roupa que determinada personagem usou num vulgar jantar em qualquer dia da semana, ou atender a especificidades da casa de A ou de B, descrevendo a posição dos móveis, a cor dos cortinados, o pó das estantes, o candeeiro de pé ou de tecto, etc., etc., etc.

Eu fico-me sempre por aquilo que sinto: gosto ou não gosto da aparência, sinto-me ou não confortável, deixei-me encantar por similitudes ou diversidades, singularidades… e pouco mais. Fico apenas com a ideia, despindo-me dos detalhes, embora saiba que são os detalhes que fazem a diferença.

Não sou assim com as pessoas. Às pessoas eu presto atenção, procuro descortinar o que são para além das aparências, das palavras; intuitivamente leio os gestos, os olhos, as expressões; a algumas escancaro as minhas portas interiores, a outras fecho-as para sempre(?) e a outras ainda deixo-as entreabertas. Sei que quando uma porta se fecha pode abrir-se uma janela e estou sempre a tempo de o fazer.

Sinto alguns amigos como me sinto a mim própria. Há gente à qual pertenço incondicionalmente e para além da vida ou da morte.

EU AMO!

4 Comments

  1. A Salvina pertence a um grupo muito restrito… é um daqueles casos raros, em vias de extinção. Ela sabe do que falo! Sorte a minha por se ter cruzado no meu caminho!

  2. Lindo, verdadeiro. Amei. Eu sou diferente na forma de observar as coisas. Fico mais atenta aos pormenores. Não sei porquê, mas fui sempre assim desde pequena. Com as pessoas , sou como tu Vina. Tento observa-las por fora e principalmente por dentro e mesmo assim muitas vezes erro o “Alvo”. Depois sinto-me traída, e sofro muito com a deceção, e as minhas portas fecham-se para sempre, quer as de casa quer as da alma. Mas tenho outra particularidade, quando Amo, amo mesmo e de verdade. Sou aquela Amiga que podem contar para tudo e para a Vida.
    Gostei de ver a Candinha (Com todo o respeito). Dá-lhe um beijinho meu. Um Feliz 2015 para vós e para todos os vossos Familiares.

    • Olá Gracinha. Obrigada pelo comentário 🙂

      Todos nos enganamos no nosso “julgamento” dos outros, mas o importante é sempre conhecermos e aceitarmos (ou não) o que são. Há uma velha música brasileira que diz “ela não presta, mas eu gosto dela”; parece pouco, mas é muito, porque amamos quem amamos, apesar de…

      Feliz Ano Novo também para ti e um beijo grande.

Deixe uma resposta

Required fields are marked *.