Porque sou pequena…

| 8 Comments

Picasso

Maya – Pablo Picasso

Quereria, outra vez, sentar-me no teu colo, para que me acariciasses os cabelos…

Quereria sentir novamente a segurança dos teus braços, do teu abraço, do teu conforto…

Quereria confiar que, contigo, nada de mal me pode acontecer….

Quereria que voltasses a aconchegar-me a roupa antes de dormir e que, só por isso, os meus olhos se fechassem com vontade de adormecer…

Quereria que me preparasses aquela comidinha de que tanto gosto para que o meu prato se enchesse dos teus mimos…

Quereria que me desses a tua mão e que ela me transmitisse força, segurança e até orgulho por andar contigo na rua, de mão dada…

Quereria que me catasses a cabeça, abrindo pequenos carreirinhos nos meus cabelos, uns atrás dos outros, inspeccionando ou fingindo inspeccionar todos os cantos da minha crina dourada…

Quereria fugir para a tua cama, refugiar-me nos teus braços e partilhar os teus lençóis nas noites acordadas de pesadelos…

Quereria que me desenriçasses os cabelos depois do banho e que me deixasses refilar e chorar e reclamar porque me estás a arrepelar…

Quereria o sossego da tua voz nos meus sustos, nas minhas dores, nas minhas dificuldades…

Quereria que me beijasses os olhos, enxugasses as lágrimas e me cobrisses de beijos, porque sou pequena… sou pequena.

Quereria, enfim, sentir que ainda és, que ainda sou um pedaço de nós duas, que sobrevive contigo, por ti, nas memórias longínquas das nossas vidas.

8 Comments

  1. Maravilhoso Vina. Como é bom ser-se pequena. Ter
    tudo isso que tu sentes falta, hoje. Mas o tempo não volta atrás. Restam as memórias guardadas o mais fundo da nossa saudade. Mas a tua ainda te olha, te toca, te sorri…Mas eu há muito que perdi tudo isso.. Um grande beijinho de amizade, para as duas …….

  2. A velhice traz com ela a decadência do ser humano, o regresso (imposto) à forma de bebés, em que todos precisamos que cuidem de nós. E aqui cuidam…
    Aqui existe amor… um amor icondicional que nos esmaga! Mas, por vezes, a saudade do tempo em que cuidavam de nós volta e, por vezes, a única coisa necessária era um abraço. Por vezes, bastava um abraço… tantas vezes que bastava apenas um abraço. Guardarei este este texto para o resto dos meus dias, Salvina.

  3. Muito bom… fez-me recordar quando era pequenina e como gostaria de por momentos voltar a esse tempo, com a minha mãezinha.

    • Pois, Aldina, o tempo não volta atrás, embora os desejos permaneçam. Na nossa imaginação, no entanto, tudo é possível… Reviver é poder sentir novamente. Um beijo.

  4. Tu querias,e ainda podes querer!
    Porque ela ainda está viva. Pode não te alisar os cabelos, mas faz mais ainda, coisas que não consegues entender.
    (ou será que entendes???’)

Deixe uma resposta

Required fields are marked *.