20 de Julho de 2015
by Miguel
8 Comments

Cândida flor

Assim nasceste, cândida flor!… Branca e imaculada, sem dor. Dores vieram nas Primaveras e Invernos da tua vida, sempre lutando com a candura inocente, como «Deus» te pôs aqui, imaculada, pura e singela. Contigo aprendi!… Que não é preciso dar … Continue reading