Esse dia

| 0 comments

Pintura de Eduardo Naranjo

Pintura de Eduardo Naranjo

Esse dia surgiu como um quadro de pintor surrealista, ousando matar as cores para renascê-las em tons de vida e morte, como um quadro sucessivo das imagens externas a que chamamos mundo.

As nuvens num remoinho cinzento e claro, dançavam um ballet nunca composto, tão pesadas como chumbo, que esmagavam o meu sentir e a alma que nunca soube se tinha.

Considerei-me feliz por ter amado e infeliz por o não ser.

Não me via assim na obrigação, que inevitavelmente me pesaria, de ter que amar alguém.

Todas as saudades se empastaram num turbilhão de céu, todas as dores se fundiram numa metafísica utópica de querer encontrar a luz!…

Foi esse o dia em que quis morrer.

Deixar uma resposta

Required fields are marked *.