| 1 Comment

002Sentado neste banco de jardim, penso e por vezes durmo e até sonho. Com a minha juventude, com as minhas memórias…..
Tenho grades por trás que não me permitem voltar, tenho a tarde que se entorna numa eterna tarde que já não tarda.
Um Outono gritando um Inverno que vem depois fatalmente.
Levanto-me!… Vou para casa!… «meu útero meu aconchego». Afastando este nevoeiro de tarde que por entre ele vou abrindo com as mãos os meus desencantos, e os encantos dos meus pensamentos.

One Comment

  1. Nunca estamos só, meu Querido. Estamos com nós mesmos, quanto mais não seja, com os nossos FANTASMAS, estamos com aqueles que partiram mas que estão sempre connosco, dentro de nós,na nossa alma, e assim vamos aprendendo a viver com a solidão. E para que saibas, quero que saibas, que nunca estás só. eu estou sempre contigo…………. Amo-te

Deixe uma resposta

Required fields are marked *.