Tempo de incerteza

| 2 Comments

Houve um tempo em que precisou de colo. Procurava em todos os lugares mas só existia um vazio imenso, sem nada, nem ninguém que pudesse acalentar o seu desassossego.

Houve um tempo em que tudo à sua volta irrompia em cantos de felicidade e, sem saber, achava que era um engano. Era uma realidade desconhecida, por isso todos fingiam como o poeta.

Houve um tempo para lembrar que era preciso esquecer o tempo dos abraços. Passavam como o vento que atravessa o corpo e eram ignorados, invisíveis.

Foi um tempo de incerteza. Não voltes tempo! Deixa-te ficar quieto e escuta apenas as palavras que teimas em não ouvir.

146631_papel-de-parede-praia-em-preto-e-branco_1280x800

2 Comments

  1. Espero que esses novos ventos cheguem depressa e possa deixar para trás um tempo que é imperativo esquecer.
    Um beijo de quem gosta também muito de si, Salvina.

  2. Haverá mais tempos, novos tempos, em que os pássaros te trarão um canto alegre e te musicarão a alma, a mesma alma, que despirá a tristeza para dar lugar à serenidade. E essa será única e duradoira. Acredita que outros ventos soprarão. Aproveita os momentos… e VIVE! Um beijo grande de quem gosta muito de ti.

Deixar uma resposta

Required fields are marked *.