9 de Janeiro de 2019
by Miguel
0 comments

Saudade

Por vezes tenho saudade de ter saudade… Tento ignorá-la, porque se veste de formas diferentes! Por vezes vem sorrateiramente, doce mas cheia de espinhos para enganar aquilo que foi bom e não volta mais. Outras vezes vem silenciosamente como de … Continue reading

16 de Novembro de 2018
by Salvina
1 Comment

Jindungo

Estou a tornar-me uma agricultora, mais propriamente uma jindungueira (cultivadora de jindungo em vasos). Para quem não sabe, o jindungo, aportuguesamento da palavra jindungu (plural de ndungo na língua quimbundo, uma das mais faladas em Angola) é uma baga pequenina … Continue reading

29 de Junho de 2018
by Miguel
0 comments

Dias felizes

Quando me levanto, estou cansado de tanto dormir, cansado do dia anterior e de todo o peso dos anos!… Mas penso (só para mim) que hoje vai ser um dia feliz, agradável e simpático. Ele, o dia, vai correndo como … Continue reading

19 de Junho de 2018
by Salvina
2 Comments

Uma flor…

Uma flor, uma pequena flor, uma única flor, uma flor… Olá, branca flor. Esperava-te, mas não sabia se virias. Afinal, esperamos tanta coisa que não vem… Mas vieste. Sabias que és linda e que quando os meus olhos te viram … Continue reading

24 de Maio de 2018
by Salvina
2 Comments

Imigrante

Está ali uma árvore: um abacateiro. Não é árvore desta terra, bem se vê. Está só. Não tem irmãs nem irmãos, nem qualquer árvore da sua espécie por perto. Vejo-lhe uma visita: um melro, pássaro preto, a cantar num dos … Continue reading

7 de Maio de 2018
by Salvina
0 comments

Pardais em Lisboa

Ontem, ao final da tarde, senti o pulsar de Lisboa numa esplanada da Rua dos Bacalhoeiros, junto à Casa dos Bicos (Fundação José Saramago), a beber coca-cola e a ouvir o chilrear dos pardais. Pardais em Lisboa? Há-os aos montes. … Continue reading

15 de Março de 2018
by Miguel
0 comments

Amanheci

Amanheci!… Como sempre em todos os dias. Com um torpor, uma preguiça, sem vontade de recomeçar. Sentei-me numa cadeira mais ou menos confortável, junto à janela do meu quarto, como se o Mundo me estivesse a amparar em suas mãos. Olhei … Continue reading

3 de Março de 2018
by Salvina
2 Comments

Pó de borboleta

Os miúdos gostam de campo, não gostam de prédios. De prédios só gostam de elevadores, que são os carros dos prédios, para andar para cima e para baixo. As crianças precisam de espaço para gozar de pequenas liberdades: chapinhar nas … Continue reading