3 de Novembro de 2015
by Miguel
0 comments

De noite…

Na aurora os galos cantam, toca a arpa!… Ao meio-dia cigarras cantam, toca o alaúde!… Na penumbra ladram os cães, toca o piano!… De noite!… Uivam os lobos, e choro eu!

6 de Outubro de 2015
by Miguel
0 comments

2 de outubro

Que doce e calmo foi hoje o teu despertar … Até o Sol nasceu maior e mais vermelho, da cor dos olhos de quem chora de amargura. Numa vaga lembrança , esboças  um leve sorriso, recordando os dias, cinzentos e … Continue reading

28 de Agosto de 2015
by Miguel
0 comments

O recado

Boa tarde vizinha!…. Só queria dar uma palavriha. Quando estender a roupa não deixe escorrer para a minha varanda, só porque moro em baixo. Também não sopre as alpistas do canário para as outras varandas. — Está a falar comigo?… … Continue reading

20 de Julho de 2015
by Miguel
8 Comments

Cândida flor

Assim nasceste, cândida flor!… Branca e imaculada, sem dor. Dores vieram nas Primaveras e Invernos da tua vida, sempre lutando com a candura inocente, como «Deus» te pôs aqui, imaculada, pura e singela. Contigo aprendi!… Que não é preciso dar … Continue reading

2 de Junho de 2015
by Miguel
3 Comments

Camaleão

Já se sabe que o camaleão muda de cor conforme a situação, com seu instinto de sobrevivência. Será que devo ser camaleão?…  Ou ser eu próprio, e deva ser assim, já que não sou esse bicho!?… Por exemplo: já fui … Continue reading

4 de Maio de 2015
by Miguel
6 Comments

A rosa

Ao chegares, rosa linda e perfumada, Ao entrares dentro de mim, rosa sorridente e já amada. Vieste na espuma dos dias e das noites de boémia, Das casas vazias, com alegrias efémeras. Partiste nas asas de um anjo, eu sei!… … Continue reading

13 de Abril de 2015
by Miguel
6 Comments

Ser novo

Ser novo não  é o mesmo que ser velho! Há o antes e o depois no limiar da vida Quando já velho!… com o peso das memórias e das saudades, com a pele enrugada pelo tempo, quando já perdemos metade … Continue reading

19 de Março de 2015
by Miguel
6 Comments

Tive um pai

Resumidamente quero dizer, em jeito de desabafo, que tive um pai!… Não sei se me amou ou não? Não sei se me aceitou tal como eu era ou não? Só sei que derrubei barreiras, ao lhe falar quando ele já … Continue reading