27 de Novembro de 2015
by Miguel
0 comments

Esse dia

Esse dia surgiu como um quadro de pintor surrealista, ousando matar as cores para renascê-las em tons de vida e morte, como um quadro sucessivo das imagens externas a que chamamos mundo. As nuvens num remoinho cinzento e claro, dançavam … Continue reading

3 de Novembro de 2015
by Miguel
0 comments

De noite…

Na aurora os galos cantam, toca a arpa!… Ao meio-dia cigarras cantam, toca o alaúde!… Na penumbra ladram os cães, toca o piano!… De noite!… Uivam os lobos, e choro eu!

6 de Outubro de 2015
by Miguel
0 comments

2 de outubro

Que doce e calmo foi hoje o teu despertar … Até o Sol nasceu maior e mais vermelho, da cor dos olhos de quem chora de amargura. Numa vaga lembrança , esboças  um leve sorriso, recordando os dias, cinzentos e … Continue reading

28 de Agosto de 2015
by Miguel
0 comments

O recado

Boa tarde vizinha!…. Só queria dar uma palavriha. Quando estender a roupa não deixe escorrer para a minha varanda, só porque moro em baixo. Também não sopre as alpistas do canário para as outras varandas. — Está a falar comigo?… … Continue reading

20 de Julho de 2015
by Miguel
8 Comments

Cândida flor

Assim nasceste, cândida flor!… Branca e imaculada, sem dor. Dores vieram nas Primaveras e Invernos da tua vida, sempre lutando com a candura inocente, como «Deus» te pôs aqui, imaculada, pura e singela. Contigo aprendi!… Que não é preciso dar … Continue reading

2 de Junho de 2015
by Miguel
3 Comments

Camaleão

Já se sabe que o camaleão muda de cor conforme a situação, com seu instinto de sobrevivência. Será que devo ser camaleão?…  Ou ser eu próprio, e deva ser assim, já que não sou esse bicho!?… Por exemplo: já fui … Continue reading

4 de Maio de 2015
by Miguel
6 Comments

A rosa

Ao chegares, rosa linda e perfumada, Ao entrares dentro de mim, rosa sorridente e já amada. Vieste na espuma dos dias e das noites de boémia, Das casas vazias, com alegrias efémeras. Partiste nas asas de um anjo, eu sei!… … Continue reading

13 de Abril de 2015
by Miguel
6 Comments

Ser novo

Ser novo não  é o mesmo que ser velho! Há o antes e o depois no limiar da vida Quando já velho!… com o peso das memórias e das saudades, com a pele enrugada pelo tempo, quando já perdemos metade … Continue reading